Barbara Arranz Bárbara Arranz​ é biomédica e atualmente vive em Madri, capital da Espanha. Mulher, mãe e ativista, é fundadora da LinhaCanabica.com, uma linha de cosméticos totalmente orgânica e vegana sem aditivos químicos produzidos a partir do óleo de cannabis. Bárbara começou a pesquisa a cannabis há 11 anos, quando seu filho Raul nasceu e foi diagnosticado com a Síndrome de Asperger, um tipo de Autismo leve que gera irritações moderadas. Um de seus maiores objetivos é desmistificar a maconha e levar à cannabis até a casa das pessoas.

Cannabis e saúde feminina: como a maconha pode ajudar a mulher a se cuidar?

3 minutos de leitura

Cannabis-e-saude-feminina

Muitas mulheres que fazem uso recreativo da cannabis não sabem que as propriedades medicinais da planta podem ajudar, e muito, em diversos aspectos da saúde feminina.

A saúde da mulher, aliás, é um assunto que precisa ser constantemente discutido. Pesquisa da SBOC (Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica) apontou que 52% das mulheres brasileiras não realizam o papanicolau regularmente. Esse exame é de suma importância para a identificação de doenças como o câncer do colo de útero. 
Só para se ter uma ideia da gravidade desse dado, o INCA (Instituto Nacional de Câncer), apontou que esse tipo de câncer é o terceiro tumor que mais atinge a população feminina no Brasil. Por esse e outros motivos, se consultar regularmente com um ginecologista e realizar os exames de rotina salva vidas.


Estudo anatômico da gestação – Leonardo Da Vinci, cerca de 1511

Mas além do acompanhamento ginecológico, há outros cuidados que podem ajudar a mulher a melhorar sua qualidade de vida. É aí que a cannabis entra nessa história. Como ela pode ajudar a saúde da mulher? Entenda mais sobre o assunto a seguir!

Cannabis e saúde feminina: quais os benefícios da maconha para a mulher?

O primeiro aspecto positivo da cannabis na saúde da mulher se dá durante o período menstrual. A planta pode ajudar a aliviar as terríveis cólicas menstruais, que são intensas em muitas mulheres e atrapalham suas rotinas nesse período. 

A explicação está nos canabinóides da maconha. Um dos mais populares, o THC (tetra-hidrocanabinol), libera dopamina, o que ajuda a aliviar a dor. Em outra frente, o canabinóide CBD (canabidiol) ajuda a promover o relaxamento muscular, o que tem efeitos positivos contra as dores. 

A ação desses canabinóides (e de todos os outros) é eficaz porque nosso organismo possui receptores espalhados pelo corpo e que reagem positivamente aos canabinóides. Chamados de CB1 e CB2, esses receptores formam o Sistema Endocanabinóide, que atua tanto na região cerebral quanto em outras partes do organismo.

Não só isso, como a ação dos canabinóides exógenos (como o CDB) integra as vias neurológicas relacionadas à dor. Esse efeito antinociceptivo (ou analgésico) é também mediado por outros receptores – como o TRPV1 – que são afetados pela Cannabis.
Um estudo de 2019 intitulado “Uso de Cannabis para aliviar a dor e promover o sono”, publicado na Taylor & Francis Online, analisou 1000 adultos consumidores regulares de cannabis. Desse total, 65% disseram que usavam a planta para amenizar as dores. Nesse grupo, 80% dos adultos alegaram que a cannabis se mostrou “muito ou extremamente útil” no tratamento da dor.

Uso da maconha para ajudar no prazer sexual feminino

A relação entre cannabis e a liberação de hormônios do prazer se reflete também no sexo. A planta ajuda milhares de mulheres a recuperarem ou intensificarem o prazer sexual.


O potencial afrodisíaco da Cannabis está nos registros mais antigos da humanidade, como na Ayurveda do mundo indiano

Um estudo publicado em julho de 2020 no Sexual Medicine Open Access, ouviu 452 mulheres adultas e usuárias de maconha para tentar estabelecer relações entre a cannabis e a vida sexual da mulher.

72.8% das mulheres participantes alegaram usar a cannabis pelo menos 6 vezes por semana. O mais interessante é que justamente esse grupo foi o que apresentou os maiores índices de prazer sexual, desejo e chegada ao orgasmo.

Em outro estudo, publicado em 2017 na International Society for the Study of Women’s Sexual Health, 289 mulheres foram ouvidas para relatarem suas experiências com o uso da cannabis e a vida sexual. 77% delas disseram que o uso de maconha reduziu a dor durante o ato sexual e potencializou o orgasmo. Além disso, 60% das entrevistadas notaram que o desejo sexual aumentou após o uso da cannabis. 
Além do fumo, outro uso da cannabis para potencializar a vida sexual das mulheres pode ser através do lubrificante de cannabis, que já é encontrado no mercado brasileiro.

Óleo de cannabis pode ajudar em diversos aspectos

Além de ajudar nas dores do período menstrual e na vida sexual da mulher, a cannabis medicinal pode ter efeitos benéficos que servem tanto para homens quanto para mulheres. A planta é capaz de promover o relaxamento, ajudando a lidar com o estresse.

A cannabis também contribui bastante para combater a insônia. O estudo “Uso de Cannabis para aliviar a dor e promover o sono”, citado acima, também trouxe um dado interessante nesse sentido: 75% dos usuários de cannabis medicinal ouvidos pela pesquisa relataram melhora considerável na qualidade do sono.

Graças a dopamina e a outros neurotransmissores que mediam boas sensações e que são estimulados pelos canabinóides, a cannabis é apontada ainda como uma solução natural que ajuda a controlar a ansiedade e a depressão.

📌 Leia também: Como a maconha pode auxiliar no tratamento do câncer de mama?

Viu só quantos benefícios a cannabis medicinal traz para a saúde feminina? A maneira mais prática de aproveitar todos os benefícios dos canabinóides sem a preocupação e “ficar chapada” é por meio do óleo de cannabis full spectrum. Esse composto é extraído de modo a preservar todos os componentes da maconha.

Uma das alternativas para usar o óleo de cannabis full spectrum no Brasil é a Linha Canábica da Bá, uma linha de produtos à base de maconha 100% veganos e naturais. Ao entrar em contato com a Linha, o paciente recebe orientações e também o contato de médicos com os quais pode se consultar para averiguar se a cannabis medicinal pode ser benéfica para o seu caso.
Para ficar por dentro de todo o universo da cannabis medicinal, siga a Linha Canábica da Bá no Instagram!

Você precisa de Maconha Medicinal?
Barbara Arranz Bárbara Arranz​ é biomédica e atualmente vive em Madri, capital da Espanha. Mulher, mãe e ativista, é fundadora da LinhaCanabica.com, uma linha de cosméticos totalmente orgânica e vegana sem aditivos químicos produzidos a partir do óleo de cannabis. Bárbara começou a pesquisa a cannabis há 11 anos, quando seu filho Raul nasceu e foi diagnosticado com a Síndrome de Asperger, um tipo de Autismo leve que gera irritações moderadas. Um de seus maiores objetivos é desmistificar a maconha e levar à cannabis até a casa das pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *