Barbara Arranz Bárbara Arranz​ é biomédica e atualmente vive em Madri, capital da Espanha. Mulher, mãe e ativista, é fundadora da LinhaCanabica.com, uma linha de cosméticos totalmente orgânica e vegana sem aditivos químicos produzidos a partir do óleo de cannabis. Bárbara começou a pesquisa a cannabis há 11 anos, quando seu filho Raul nasceu e foi diagnosticado com a Síndrome de Asperger, um tipo de Autismo leve que gera irritações moderadas. Um de seus maiores objetivos é desmistificar a maconha e levar à cannabis até a casa das pessoas.

Uso da cannabis para tratar a epilepsia

3 minutos de leitura

cannabis-epilepsia

por que cada vez mais pacientes estão recorrendo a maconha?

Um dos transtornos neurológicos mais comuns no mundo, a Epilepsia atinge cerca de 50 milhões de pessoas ao redor do globo. Mas você sabe o que é essa doença, quais os sintomas e como a maconha pode ajudar a tratar a epilepsia?

A epilepsia é uma alteração temporária e reversível do funcionamento do cérebro. Tal alteração pode ter origem ainda na formação do feto ou posteriormente, devido a um trauma na cabeça Também pode aparecer como consequência de outras doenças, como tumores cerebrais.

Em artigo publicado na USP, os pesquisadores José Gallucci Neto e Renato Luiz Marchetti apontam que, devido a questões parasitárias, a incidência da doença é maior em países em desenvolvimento, atingindo entre 120 e 190 pessoas a cada 100 mil habitantes. Nos países desenvolvidos, esse índice varia entre 40 e 70 pessoas a cada 100 mil.

A seguir, você vai entender melhor o que é a epilepsia e como o óleo de cannabis pode ajudar pacientes epilépticos a ter uma qualidade de vida melhor.


Leia também: Como o óleo de cannabis pode ajudar pacientes com a doença de Alzheimer?

O que é epilepsia?

Conforme dito anteriormente, Epilepsia é uma alteração temporária e reversível do funcionamento do cérebro. Ela é causada pelo próprio cérebro, que passa a emitir sinais incorretos por um curto período de tempo. Esses sinais podem ser localizados, causando uma epilepsia parcial, ou espalhados, causando uma epilepsia generalizada

Epilepsias parciais geralmente causam crises mais brandas, das quais o paciente se recupera pouco tempo após a crise. Já as epilepsias generalizadas estão associadas a casos mais graves da doença.

Existem muitos fatores que podem ser apontados como causas da Epilepsia. A doença pode aparecer por causa de um trauma na região da cabeça, por complicações ainda na formação do feto ou nos primeiros meses de vida. Também pode estar associada ao uso de drogas e abuso do álcool.

Epilepsia não tem cura, mas tem tratamento – geralmente feito com anticonvulsivantes. Dependendo do caso e do tratamento, o paciente pode passar até anos sem sofrer uma crise. 


💡 Você pode obter mais informações sobre a Epilepsia através do site da Liga Brasileira de Epilepsia.

Como a maconha pode ajudar pacientes com epilepsia?

Antes de mais nada, é importante dizer que a maconha não tem o poder de curar pacientes com epilepsia. Na realidade, nenhum medicamento – sintético ou natural – alcançou esse resultado. O que cada vez mais pacientes vêm percebendo é que a planta cannabis pode obter resultados surpreendentes no controle das crises epilépticas, tudo isso sem os efeitos colaterais pesados de medicamentos sintéticos anticonvulsivantes.

Mas, como a maconha age? No começo dos anos 90, cientistas descobriram um par de receptores presentes no cérebro e em outras partes do corpo que reagem positivamente aos canabinóides. A esses receptores foi dado o nome de Sistema Endocanabinóide.

O Sistema Endocanabinóide possui os receptores CB1 e CB2 que entram em ação quando os canabinóides presentes na maconha são ingeridos, geralmente através do óleo de cannabis full Spectrum. 

Ingerir o óleo de cannabis é poderoso porque ele age diretamente no cérebro, ajudando a controlar a região cerebral e acalmando os sinais incorretos que o cérebro emite durante as crises epilépticas.
Falando de uma maneira um pouco mais técnica, o receptor CB1 é altamente expresso, localizado na membrana pré-sináptica das células. Tais receptores CB1 estão presentes tanto em neurônios inibitórios gabaérgicos quanto em neurônios excitatórios glutamatérgicos. Quando ingeridos por meio do óleo, os canabinóides da maconha atuam no receptor CB1 inibindo a transmissão sináptica por bloqueio dos canais de cálcio (Ca2+) e potássio (K+) dependentes de voltagem. É assim que o óleo de cannabis ajuda a inibir as crises epilépticas.

Óleo de cannabis e epilepsia: o exemplo do pequeno Ismael

O pequeno Ismael, de 3 anos, enfrenta crises epilépticas desde o começo da vida, o que o levou a tomar anticonvulsivantes desde cedo. O pai, Ernandes, ficava desesperado ao notar os efeitos desses medicamentos no filho. Para piorar, os medicamentos não estavam controlando as crises, que se tornavam cada vez mais frequentes.

Foi aí que Ernandes conheceu a Linha Canábica e o óleo de cannabis. Após um atendimento inicial, começou a dar o óleo de cannabis para o pequeno Ismael e o resultado foi surpreendente.

“Logo no início já notamos diferenças. O Ismael começou a ficar mais tranquilo, a dormir mais relaxado e por várias horas seguidas. Também houve melhora na coordenação motora e até na congestão nasal – que desapareceu”, narra Ernandes.

Ismael faz acompanhamento com uma equipe de médicos. Ernandes relata aos médicos a evolução do quadro do filho durante o tratamento com o óleo de cannabis e todos eles constataram a enorme mudança pela qual o Ismael vem passando após o uso do óleo.

diario-ismael-cannabis
diario-ismael-cannabis

Leia o relato completo sobre o caso de Ismael e veja na prática como a cannabis pode ajudar pacientes com epilepsia.

Onde encontrar o óleo de cannabis para tratar a epilepsia?

O óleo de cannabis full Spectrum é aquele que é extraído de modo a conservar todos os componentes da planta. Essa extração é realizada em laboratório, de modo a conservar o poder medicinal da maconha sem produzir nenhum efeito psicoativo.

Algumas associações brasileiras de pacientes produzem o óleo e distribuem para seus associados. A nível federal, o congresso está discutindo a estruturação de uma cadeia de produção de medicamentos à base de cannabis que envolve inclusive a distribuição via SUS. Mas o projeto em questão, de autoria do deputado Paulo Teixeira, ainda está longe de virar lei. Muitas discussões e articulações precisam ser feitas.

Outra alternativa é a Linha Canábica da Bá, linha de produtos veganos à base de maconha. A Linha da Bá é brasileira, comercializa o óleo de cannabis para todo o país. Ao preencher um formulário de solicitação no site, o paciente recebe orientações quanto à dosagem e frequência de uso.

Para ficar por dentro de novidades sobre a cannabis medicinal e receber sempre muitas informações sobre o tema, siga a Linha Canábica no Instagram e no LinkedIn.

Barbara Arranz Bárbara Arranz​ é biomédica e atualmente vive em Madri, capital da Espanha. Mulher, mãe e ativista, é fundadora da LinhaCanabica.com, uma linha de cosméticos totalmente orgânica e vegana sem aditivos químicos produzidos a partir do óleo de cannabis. Bárbara começou a pesquisa a cannabis há 11 anos, quando seu filho Raul nasceu e foi diagnosticado com a Síndrome de Asperger, um tipo de Autismo leve que gera irritações moderadas. Um de seus maiores objetivos é desmistificar a maconha e levar à cannabis até a casa das pessoas.

2 Comentários para “Uso da cannabis para tratar a epilepsia”

  1. Olá , meu filho de 6 anos possui uma distonia muscular , rigidez ao executar movimentos motores finos , ele não consegue fazer movimento de pinça e possui dificuldades para escrever.
    Teria algum derivado de cabanis que poderia melhorar essa rigidez e distonia dele?
    Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *